Encontro preparatório para “Economia de Francisco” será realizado dias 18 e 19, na PUC-SP

Nos dias 18 e 19 de novembro, mais de 500 pessoas de todo o Brasil irão participar do Encontro Nacional Economia de Francisco, na PUC em São Paulo. O intuito do encontro é reunir intelectuais, estudantes e jovens, movimentos sociais e ativistas das várias experiências do Brasil em geração de renda e produção sustentável como alternativas à economia geradora de desigualdades e dilapidadora da natureza. As atividades acontecem no Tucarena, PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

A ABEF (Articulação Brasileira para a Economia de Francisco) será organizadora do evento, representando as 35 entidades, com o Instituto Casa Comum (ICC) e a PUC-SP.

Leia mais:
Catequese com adultos: CNBB inicia projeto como caminho de aprofundamento da fé

Carta do Papa

Papa Francisco divulgou em maio uma carta, lançando um pacto global de mudança do modelo de economia. O Santo Padre convocou economistas, empreendedores e jovens de até 35 anos, para participar do evento codinome que acontecerá na cidade de Assis, Itália, entre os dias 26 e 28 de março de 2020.

“Através de um ‘pacto’ comum, promoveremos um processo de mudança global que esteja em comunhão de intenções não só aos que têm o dom da fé, mas a todos os homens de boa vontade, para além das diferenças de crença e nacionalidade, unidos por um ideal de fraternidade e atentos, sobretudo, aos pobres e excluídos”, escreve Papa Francisco na mensagem de convite ao evento apresentando sua intenção de pensar novas formas de economia.

Programação brasileira 

No Brasil, a programação será realizada em mesas, painéis e rodas de conversa, como espaços de reflexões, compartilhamentos e troca de experiências. Além disso, irá sistematizar diretrizes a partir do acúmulo das iniciativas brasileiras para a proposta da Economia de Francisco.

A abertura recebeu o sociólogo Michael Lowy, diretor de pesquisas do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) da França, a sacerdotisa Mãe Eleonora, do terreiro Ilê Ase Omo Oya Bagan Odé Ibô e Coordenadora do Ponto de Cultura Caminhos, e Dennis de Oliveira, professor da Escola de Comunicações e Artes da USP e da Rede Quilombação.

O 2º dia de evento contará com debates que marcarão os painéis de boas práticas e apresentarão as experiências brasileiras de entidades como a Unicopas (União Nacional de Organizações Cooperativas Solidárias), Articulação Nacional de Agroecologia, Fórum Estadual de Orçamento Participativo, entre outras.

Como resultado, a Articulação Brasileira deve preparar uma delegação para a atividade mundial do ano que vem, além de levar modelos alternativos e experiências de economia do país por meio da Carta Brasileira para a Economia de Francisco.

Leia mais:
Economia da Santa Sé tem novo prefeito da secretaria: Padre Guerrero

Entidades podem realizar encontros locais ou regionais com o tema

A ABEF (Articulação Brasileira para a Economia de Francisco) recebe até 15 de janeiro de 2020 contribuições com propostas dentro dos três grandes eixos de discussão mundial, sugeridos pelo Papa Francisco: bases de uma economia inclusiva, marcada pela ética, justiça social e humanismo; experiências concretas de uma nova economia; e mudanças dos currículos das faculdades de economia.

As propostas podem ser advindas de eventos locais ou regionais, com a mobilização de entidades que tenham modelos econômicos que superem às desigualdades atuais e tenham produções sustentáveis alternativas, de gestão e autogestão, e os apontamentos para crítica à economia política.

Com informações de Assessoria de comunicação/ABEF

©[2021] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Promotora Católica

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account