O Promotor Vocacional em formação e o seu exercício na Igreja

O Promotor Vocacional na Igreja

Primeiramente, trabalhar as vocações na igreja é um grande desafio. Conforme os documentos conciliares, o primeiro promotor vocacional é o senhor Bispo, como pastor e “episcopus” do rebanho, que tem o dever de estimular sua grei no fomento das vocações e de cuidar da profunda coordenação de todas as forças de trabalho (O.T.2; Christus Dominus, 15,17).

Para o exercício desta função, deve-se chamar para essa coordenação, sacerdotes, religiosos e leigos qualificados. Sendo assim, em virtude do ofício recebido, os promotores vocacionais são, de modo especial, os sacerdotes, os religiosos encarregados da orientação de determinada comunidade do povo de Deus.

Leia também:
Uma comunicação inovadora para favorecer sua paróquia

Como ser um cooperador do Bispo?

Cumpre sua pastoral procurando, principalmente:

a) Criar um clima e ambiente vocacional nas pessoas, famílias e na comunidade.

b) Suscitar vocações: despertar a vontade e a disposição nos membros do povo de Deus de estarem atentos aos chamados concretos de Cristo e da Igreja, em sua vida pessoal e na realidade eclesial.

c) Discernir as vocações: ajudar cada cristão a descobrir, em suas ânsias e tentativas de compromisso, ou seja, as afinidades profundas do seu ser em relação com a função concreta no corpo da Igreja.

d) Cultivar opções: orientar e acompanhar o cristão em seu compromisso concreto e histórico, para um maior descobrimento e crescimento vivencial, que o leve à maturidade da opção da comunidade da Igreja, tanto na linha da santidade como na do ministério.

Portanto, considerando a realidade brasileira e latino-americana, o promotor vocacional deverá ser um evangelizador e alguém que motive os cristãos a viverem a vocação fundamental de cristãos batizados.

Processo de formação 

O Promotor Vocacional em formação e o seu exercício na Igreja

Promotor Vocacional em oração e vivência

Vivência: É a base da formação de um promotor vocacional para ser testemunho de vida. Uma vivência evangélica no sentido comunitário de uma vida de caridade, esperança e fé. Para ter a experiência de fraternidade deverá ser formado em um trabalho e vivência de equipe de vida, com planejamento e revisão de vida e trabalho. Dias de encontro e de formação são importantes e necessários.

Reflexão Doutrinária: Em outras palavras, a intensa formação teológica é a base dos documentos conciliares, no contexto bíblico e da história da Igreja. O estudo do homem, tanto de sua psicologia, como de sua realidade sociológica. Contudo, as técnicas modernas de ação e de comunicação devem fazer parte de sua bagagem intelectual.

Leia também:
Liderança na paróquia – a missão do líder e o poder do exemplo

Treinamento Prático

a) compromissos com os movimentos paroquiais e diocesanos.

b) contato com as modernas técnicas de trabalho com jovens.

c) participação de encontros de promotores vocacionais, de equipes que trabalham com jovens e estar a par de experiências apostólicas.

Texto de Tenda Franciscana Adaptado por Redação Promocat

©[2020] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Promotora Católica

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account