Os cuidados com as receitas e suas aplicações

Fique atento com as receitas da paróquia

Gastar ou não gastar? Essa palavra é muito forte nos ouvidos dos padres e dos gestores religiosos (as), presente nas diversas dioceses. Ou melhor, essa palavra é muito forte no bolso de todo cristão. O certo é saber gastar de forma consciente. As receitas são conquistadas de forma tão difícil, para em poucos dias não ter mais nada. O sucesso com os recursos financeiros é definido de acordo com o pensamento do gestor paroquial. Não existem boas receitas para um mau investidor.

Os custos são fáceis de conquistar, mas se você que gerencia um setor financeiro em uma comunidade ou mesmo em uma empresa, sabe que é difícil deixá-lo. Mas o que fazer para acabar com aquele custo fixo? O primeiro passo é elaborar uma lista das obrigações ou dívidas (passivo) que você tem para pagar naquele período (pode ser em uma semana ou em um mês). E depois compará-lo com as receitas, para saber o grau de endividamento da paróquia.

Os padres, os religiosos, as religiosas, os leigos e outros, juntamente com os responsáveis da localidade paroquial, terão que eliminar alguns custos e despesas. Qual a diferença entre custo e despesa? Não é a mesma coisa? Não. Os custos estão diretamente voltados para o objetivo da comunidade ou da igreja (organização ou empresa). Já as despesas se referem aos gastos voltados para outras áreas da comunidade, como por exemplo: a alimentação do padre, manutenção do carro da paróquia e outros. São gastos que não estão diretamente ligados ao foco da paróquia, que é: a celebração da Palavra de Deus.

São gastos classificados como indiretos, ou seja, não indeferem diretamente no objetivo central da igreja.

Leia também:
A importância de empregar as novas linguagens na Pascom

Organização preliminar

Depois de entender e classificar estes gastos, em custos e despesas, é preciso saber o que pode ser eliminado, ou se tem alguma coisa que possa ser reduzido. O grande dilema da gestão financeira é: fazer com que os líderes de comunidades e de empresas não deixem algumas despesas se tornarem custos fixos. Os hábitos diários podem fazer com que os padres e líderes de pastorais, aumentem as despesas de forma inconsciente.

Não basta descobrir por onde o dinheiro está saindo, é preciso captar recursos para dentro da comunidade e paróquia. Imagine que você é líder da sua instituição religiosa, consegue diminuir 20% dos gastos mensais. Se os gastos totalizaram R$ 2.000,00 menos 20%, fica R$ 1.600,00. Os R$ 400,00 podem ser usados para pagar outra conta ou guardar em uma poupança, para ser usado em projetos futuros da paróquia.

Mas será que o seu padre está financeiramente ou economicamente bem? Qual é a diferença? Financeiro está ligado ao dinheiro (capital que você tem disponível agora) e o outro termo, economicamente, está voltado para os bens, para os móveis e imóveis (ativos) da Igreja. Qual é o valor dos ativos (todos os bens físicos) da sua paróquia? Esta é uma informação que o gestor paroquial deve ter. Pois, é um recurso financeiro mobilizado e dependendo do tipo, é um ativo permanente.

Definição de estratégias

O controle financeiro não é fácil em nenhuma situação da vida. Falar em juntar dinheiro para fazer investimentos no futuro, pode ser fácil, mas na prática não é bem assim. O marketing agressivo das empresas mexe com a cabeça dos consumidores. Deixa as pessoas sensíveis diante das promoções e aí, tem que ter um pensamento focado em não gastar nada mais do que está planejado. Entretanto, os gestores todos os dias estão administrando os recursos financeiros que entram e as obrigações (despesas) que saem. São profissionais formados e com muita experiência na área que, buscam o equilíbrio e uma boa rentabilidade.

O mercado financeiro é cheio de estratégias para captar recursos financeiros e aumentar o caixa das organizações. E quais são? Qual é o melhor para a minha empresa ou para a minha comunidade? Quando devo usar esta técnica para aumentar o dinheiro da igreja? A forma mais popular e que tem menos riscos financeiros é a poupança, que está rendendo em média 0,5% ao mês, menos do que a inflação. Mas existem outras aplicações financeiras que dão um retorno maior do que a poupança.

Existem outras formas para aumentar os recursos financeiros, como por exemplo, investir em fundos de investimentos, em títulos do governo, em títulos de bancos (CDB), em ações da bolsa de valores (renda variável). Contudo, este último é um investimento de alto risco, onde o investidor pode acordar milionário ou pode perder até 80% de seu capital, em poucos dias ou horas.

Leia também:
A Campanha de evangelização na Pastoral do Dízimo

O que fazer?

Mas padres ou religiosos podem investir em ações?
Religiosos e padres podem mexer em finanças?
Podem estudar e se especializarem em mercado financeiro?

O bom líder deve saber e entender desse mercado. Ter uma visão estratégica financeira dos negócios não vai deixar o padre menos padre, nem o religioso e a religiosa com menos fé. Pelo contrário, essa visão financeira é essencial na vida de todos os gestores religiosos e paroquiais.

O controle financeiro nas paróquias é essencial para o sucesso nas atividades e nos desenvolvimentos dos trabalhos pastorais. Portando, sem capital financeiro não se faz uma formação eficiente e eficaz das pastorais. Por isso, a seguir vamos ter algumas pistas de como ter sucesso nesta área.

10 passos para o sucesso nas finanças

1º. Programe os seus gastos;
2º. Pense sempre se este gasto vai trazer benefícios duradouros;
3º. Planeje com sua equipe os futuros gastos;
4º. Defina o que é importante e o que é necessário;
5º. Elimine os custos fixos que estão camuflados nos custos variáveis;
6º. Pensamentos geram sentimentos, que geram ações, pense antes de gastar;
7º. Compare os valores dos produtos ou serviços que vão ser adquiridos;
8º. Faça a anotação de todos os gastos realizados por mês;
9º. Procure especialistas para fazer consultorias contábeis e financeiras,;
10º. O sucesso financeiro começa por dentro de VOCÊ.

Hoje, temos de forma gratuita programas na internet de planilhas para o controle financeiro. Basta entrar em um site de alguma empresa financeira e baixar as planilhas de controle de contas, existem vários modelos. O segredo é controlar os sentimentos que foram gerados por pensamentos e em seguida administrar as suas atitudes. Sendo assim, antes de comprar pense no fluxo de caixa da paróquia ou da sua comunidade religiosa. Portanto, faça planejamentos financeiros a longo e em curto prazo. E sempre se questione: eu viveria sem esse produto?

Leia também:
O Dízimo Paroquial e as dificuldades do cenário atual

Cristiano Silva Cassemiro é Mestrando em Gestão, Mercados e Agronegócios, pela UFRPE. Pós-Graduado em Marketing e em Finanças. Graduado em Administração de Empresas. Professor da Faculdade Joaquim Nabuco, em Recife/PE, nas áreas de finanças, planejamento estratégico e Organização, Sistemas e Métodos (OSM).

Texto escrito por Cristiano Silva e adaptado por Redação Promocat

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Marketing Integrado

CONTATO

Não há nenhum operador online, mas você pode nos enviar um e-mail e retornaremos o mais breve possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account