Invista em bom atendimento paroquial para os dizimistas

O dizimista merece atenção! A importância do bom atendimento paroquial junto aos colaboradores

Falando de Pastoral do Dízimo, as paróquias e as comunidades eclesiais necessitam investir no atendimento paroquial específico aos dizimistas. Contudo, o bom atendimento é um meio necessário e eficaz para proporcionar satisfação e fidelidade ao dizimista. Muitas vezes, quando os dizimistas procuram o escritório paroquial não declaram, com absoluta clareza, seu real interesse. Eles nem sempre sabem o que querem, quando ou como querem, contudo, declaram algo.

É a partir desse “algo” que os responsáveis pela Pastoral do Dízimo devem agir. Os dizimistas têm muita dificuldade em exprimir suas necessidades. Mas, são capazes de revelar seus pontos de vista, sua dificuldade e sua apreciação em relação ao dízimo quando acolhidas. Tudo isso não deve ser visto como um problema, mas sim, como uma oportunidade de superar expectativas. O atendimento aos dizimistas deve ser personalizado, com cortesia, gentileza, respeito, amabilidade, confiabilidade, disponibilidade, competência e acessibilidade. O atendimento de qualidade ao dizimista é o que determinará o crescimento da Pastoral do Dízimo. Portanto, atender com qualidade ou satisfazer a pessoa é uma grande filosofia de trabalho.

Invista em bom atendimento paroquial para os dizimistas

Leia também:
Pároco: confira dicas para gerenciar sua comunidade paroquial

Siga o exemplo

Seria muito bom que os atendentes da Pastoral do Dízimo assumissem as qualidades do hospedeiro e do ombudsman. Serão, assim, pessoas que estimularão os dizimistas a se pronunciarem, porque serão capazes de ouvi-los e interpretá-los, compilarão suas falas e tomarão medidas no sentido de corresponder às suas expectativas, necessidades e desejos, indo além do que possam esperar. Os dizimistas, quando manifestam seus interesses por algo (bem, angústia ou serviço), estão, de alguma forma, expressando suas necessidades ou desejos. Sendo assim, a partir daí os responsáveis pela Pastoral do Dízimo, encontrarão caminhos que sejam realmente pastorais e não meramente técnicos, e, ao mesmo tempo, acessíveis à mentalidade da mulher e do homem de hoje.

Tenhamos uma pastoral com meios modernos de organização, corrigindo muitas vezes a frieza e impessoalidade de nossos relacionamentos (cf. Estudo da CNBB 8, p. 57). As estatísticas indicam que mais de 90% das pessoas insatisfeitas com um atendimento, dificilmente o procurarão novamente e ainda comentarão sobre a experiência negativa com 20 a 25 pessoas de seu relacionamento. Muitas vezes, o mal atendimento, na enorme maioria dos casos, é fruto da impossibilidade de prestar um serviço melhor, seja por falta de informação ou de autonomia, seja por falta de capacitação. Mais, ainda, porque ainda não vemos em cada dizimista o próprio Cristo. Vamos acolher bem nossos dizimistas!

Leia também:
A preservação do patrimônio da paróquia é dever da comunidade

Dom Edson Oriolo é Bispo Auxiliar na Arquidiocese de Belo Horizonte/MG, Mestre em Filosofia Social, Especialista em Marketing, Pós-Graduado em Gestão Estratégicas de Pessoas, Professor, “Leader and Professional Coach” pela Act Coaching Internacional e membro do Conselho de Conteúdo da Revista Paroquias & Casas Religiosas, autor do livro “A Nova Pastoral do Dízimo: formação, implantação e missão na Igreja”, publicado pela Catholicus Editora.

Texto escrito por Dom Edson Oriolo e adaptado por Redação Promocat

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Marketing Integrado

CONTATO

Não há nenhum operador online, mas você pode nos enviar um e-mail e retornaremos o mais breve possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account