Invista em aprendizado e gestão de informação para sua secretaria

Invista em meios essenciais de aprendizado e conhecimento em gestão da informação

Os profissionais do secretariado paroquial absorvem a cada dia uma série enorme de novas atividades exigindo deles novas habilidades e conhecimentos. O ambiente do secretariado se transformou em uma ilha cercada de informações. Ou seja, elas chegam a todo instante, em diferentes formatos e meios. Portanto, a gestão de informação tem um grau de importância e prioridade e deve ser tratada de modo específico.

A gestão da informação é a ciência que permite:

  1. Acolher;
  2. Assimilar;
  3. Concatenar;
  4. Organizar;
  5. Guardar;
  6. Distribuir adequada e corretamente cada informação.

Veja também:
O atendimento em sua paróquia precisa ser diferente e com novas posturas

Alguns vícios são nocivos ao funcionamento do secretariado como:

  • Não anotar adequadamente os recados;
  • Não listar as tarefas diárias a serem executadas;
  • Armazenagem inadequada de documentos relativos a sacramentos, movimentos contábeis, documentos patrimoniais;
  • Anotação de dados confidenciais em blocos de notas do serviço comum ao atendimento telefônico;
  • Engavetamento de processos matrimoniais, deixar para ‘depois’ o que necessita ser feito ‘já’, gerando esquecimento e outros transtornos;Falta de foco e clareza na emissão de informações entre outros.

Enfim, são inúmeros os maus hábitos que resultam em informações equivocadas, atraso na entrega de documentos, falta de precisão de dados, desleixo com documentos confidenciais e ou de terceiros, perda de documentos no ambiente paroquial, retrabalhos contínuos e assim por diante. Falta gestão da informação.

Toda informação existe para ser compartilhada. Se não for, deixa de ser informação. Esse compartilhamento deve respeitar as regras da confiabilidade, da pontualidade, da confidencialidade. Por isso, a gestão da informação deve ser primorosa desde o seu recebimento. De onde veio? Quem é o remetente? Qual sua importância? A quem se destina? São alguns dos quesitos a serem analisados.

Algumas informações devem ser passadas adiante de imediato e outras permanecerão para pesquisas futuras no ambiente da secretaria. Entretanto, a organização destas informações e os modos de armazenamento são diversos, e cada profissional tem como dever aprimorar métodos e sistemas que permitam uma melhor funcionalidade no dia a dia da organização.

A boa gestão

Uma boa gestão se expressa na facilidade e na rapidez com que se acessam as informações. Por isso, é urgente que os profissionais fiquem atentos às novidades do mercado no que se refere às ferramentas de gestão: software, sistemas, equipamentos de comunicação e tecnologia, arquivos e outros organizadores.

  • De que vale uma agenda desatualizada ou que não é checada diariamente?
  • De que valem os sistemas de armazenamento sem sistemas de segurança e backup?
  • De que valem os arquivos se não estiverem bem identificados?
  • De que valem espaços para se guardar livros e outros documentos se não forem adequados, com controle de umidade, traças, incêndio, etc?

Outras informações devem receber tratamento que as transforme em dados; estes, bem analisados se tornam conhecimento. É o caso de levantamentos estatísticos, análises comparativas, análises financeiras, planilhas orçamentárias entre outros. A assiduidade, clareza e retidão na alimentação de dados resultarão em um histórico poderoso para tomadas de decisões, seja pelo profissional do secretariado seja pelo pároco.

Primeiramente, o profissional com habilidades de gestor da informação torna-se imprescindível para seu pároco, bispo, administrador eclesial e para a instituição. Pois, pelo acúmulo de experiência se torna fonte de informações e dados. Torna-se, então, gestor de conhecimento. Há dois tipos de conhecimento: tácito e o explícito. Tácito é aquele que o profissional detém para si. Aprendeu em um curso ou adquiriu por meio de treinamento. Explícito é quando este conhecimento é compartilhado com outros profissionais, ou seja, é colocado a serviço do bem comum. No entanto, este é um profissional que aprende e que ensina, natureza genuína do bom gestor tanto da informação como do conhecimento.

Veja também:
Faça da secretaria um lugar de acolhida e caridade

Área de atuação dos profissionais do secretariado paroquial

A ação dos profissionais do secretariado transcendem os limites de sua sala. Em uma paróquia podemos destacar quatro espaços de atuação e, em todas elas, há a necessidade da intervenção dos profissionais no fluxo da informação: Espaço Sagrado – Espaço Formativo – Espaço Geográfico – Espaço Virtual.

Espaço Sagrado

Compreende-se aqui todas as informações que envolvem os processos sacramentais, as atividades contábeis, RH, marketing, jurídico, financeiro, compras, contratos com terceiros, atendimento ao público, assistência ao administrador eclesial.

Espaço Formativo

Centros pastorais, catequéticos, salão de eventos e seus complementos como cozinha, estacionamento, etc. A atuação de apoio às pastorais, elaboração de placas sinalizadoras, cartazes, murais de informações, supervisão de manutenção e compras, etc. Entretanto, mesmo que haja responsáveis por estes serviços, compete aos profissionais do secretariado o acompanhamento e facilitações para o bom desempenho de todos.

Espaço Geográfico

Compreende a área geográfica da paróquia. Os profissionais atuam no armazenamento e tratamento de dados estatísticos. Distribuição de boletins informativos, cartazes, faixas, outdoors, etc.

Espaço Virtual

Manter atualizadas as informações de sites, redes sociais, envio de e-mails entre outros. Sendo assim, mesmo que a paróquia tenha profissionais específicos para tais funções, é papel do secretariado enviar as informações para que tais redes sejam alimentadas.

Certamente, saber lidar com a informação, deixou de ser uma mera questão de gosto ou jeito no perfil do profissional. Além disso, por sua urgência e importância, torna-se fundamental ao perfil de todos os que desejam ser profissionais desta área. Contudo, muitos desempenham, mesmo que de modo intuitivo, excelente trabalho na gestão da informação, outros, porém, carecem de aprimoramento. Portanto, tanto um quanto outro não pode perder de vista a eterna necessidade de se alcançar o melhor.

Veja também:
Como funciona o processo de nulidade matrimonial nos casos de pressão

Aristides Luis Madureira é Diretor da Editora A Partilha, Graduado em Comunicação e em Tecnologia em Processos Gerenciais, Missionário Leigo há mais de 20 anos implantando a Pastoral do Dízimo no Brasil. Autor de várias obras, entre elas; “Pastoral da Partilha e Manutenção”, “Partilhando a Vida em Família”, “O Poder da Comunicação no Secretariado Paroquial”, publicados pela Editora A Partilha.

Texto escrito por Aristides Madureira e adaptado por Redação Promocat

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Marketing Integrado

CONTATO

Não há nenhum operador online, mas você pode nos enviar um e-mail e retornaremos o mais breve possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account