Estabeleça companhas para transformar doadores em dizimistas comprometidos

As campanhas e estratégias podem fazer com que seus doadores sejam mais comprometidos com o Dízimo na comunidade

Antes de pensarmos em buscar novos dizimistas, é importante verificarmos se estamos utilizando os recursos atuais da melhor forma possível. O trabalho de captação será bem melhor sucedido se pudermos dizer aos doadores potenciais exatamente porque estamos arrecadando recursos. Como Igreja, precisamos lembrar que o dinheiro não é para nós, mas sim para as pessoas que servimos. Geralmente, os doadores estão esperando um convite para doar. A instituição pode ser específica sobre o que está solicitando. Se as pessoas tiverem uma boa ideia do que exatamente o dinheiro delas ajudará elas ficarão mais dispostas em apoiar. Leva tempo, geralmente vários anos, para conseguir uma boa base de doadores.

Talvez seja útil considerar alguns princípios de marketing quando desenvolvemos uma estratégia de captação de recursos. No entanto, eles precisam ser usados de maneira cuidadosa. Uma vez que tenhamos identificado a nossa estratégia, precisaremos planejar o nosso trabalho de captação de recursos.

Leia também:
Invista em uma administração com procedimentos transparentes utilizando categorias construtivas

Conscientização

Para conseguir um resultado eficiente e eficaz é preciso conscientizar as pessoas sobre a importância do dízimo, e compete ao pároco, o estímulo maior. É necessário conscientizar primeiro aqueles que são partes integrantes das diversas pastorais da paróquia, pois antes de sair para evangelizar o povo, precisamos evangelizar os nossos evangelizadores. Conscientizar significa mostrar às pessoas a necessidade da Igreja em se manter com os recursos oriundos do dízimo. É preciso desmistificar, explicar, apresentar de forma objetiva, as necessidades materiais da paróquia. Frisar que a paróquia não é dos bispos nem dos padres, a paróquia é de todos nós e compete a nós zelarem por ela.

Cadastrar todos os frequentadores

Inicialmente, devemos cadastrar todos os frequentadores da paróquia (dizimistas ou não), para que possamos assim conhecer a todos, sabendo de cada um, nome, endereço, estado civil, data de nascimento, etc. Investir em um sistema de informática e manter um contato com cada um deles via correio, e-mail ou pessoalmente com as equipes objetivando a conscientização. Isso exige pessoal capacitado, motivado e entusiasta, pois com um cadastro bem feito servirá de base de dados para essa comunicação efetiva com todos. Existem disponíveis no mercado diversos sistemas, desenvolvidos e comercializados por um preço acessível e com excelente suporte técnico.

Eduque

A educação pode ser uma maneira eficaz de conquistar interesse pelo nosso trabalho, o que leva às doações. É mais provável que os doadores nos apoiem se formos específicos sobre quais são as nossas necessidades.

Use uma abordagem pessoal

Captação de recursos está intimamente ligada a relacionamentos. Para que os doadores possam confiar suas doações aos nossos cuidados, devemos ter uma abordagem profissional e pessoal ao mesmo tempo. Devemos pensar cuidadosamente em como vamos abordar os doadores para pedir dinheiro. Se decidirmos escrever para eles, será melhor usar cartas dirigidas a pessoas específicas, ao invés de cartas impessoais padronizadas. É importante assegurarmos que os doadores potenciais e as pessoas para as quais estamos arrecadando recursos sejam tratados com respeito.

Busque doadores éticos

Pode ser tentador buscar fontes fáceis de recursos ou aceitar todo e qualquer recurso que seja oferecido para maximizar as nossas reservas. No entanto, é importante considerar se o recebimento do dinheiro deles poderia ser imprudente. Nós também não queremos ofender doadores potenciais ou prejudicar a nossa reputação de forma alguma. Como Igreja, com uma visão e chamado de Deus, devemos buscar apoio de uma forma condizente com a nossa fé cristã.

Agradeça

Talvez esse princípio possa ser óbvio. Não é apenas educado dizer obrigado e demonstrar que valorizamos a generosidade do doador, mas também é vital para que o doador nos apóie novamente. É importante que a nossa expressão de agradecimento seja apropriada, feita no momento certo e não seja vista como um desperdício. Uma outra alternativa seria escrever uma carta. Procure fazer com que esta carta seja personalizada. Procure dizer algo sobre o impacto da doação feita pelo doador. Posteriormente, o doador receberá relatórios para mostrar-lhe como os recursos têm sido gastos. Serão estes relatórios que influenciarão a decisão do doador em novamente nos financiar no futuro.

Invista tempo e dinheiro na retenção de doadores

Para criar uma base estável, precisamos ter doadores dispostos a doar dinheiro repetidamente. É mais rentável reter doadores do que encontrar doadores novos. Os doadores precisam ter confiança na nossa organização e no trabalho que realizamos antes que estejam dispostos a doar novamente. Eles precisam saber que o dinheiro doado no passado tenha sido usado sabiamente.

Mantenha uma boa reputação

Uma boa reputação nos permitirá reter e atrair novos doadores. A reputação é tão importante quanto à qualidade do nosso trabalho. Nós devemos garantir que o nosso trabalho com as comunidades e a nossa captação de recursos reflita os valores da nossa organização. A honestidade e a franqueza criam confiança e uma boa reputação.

Preste conta

Quando os doadores financiam o nosso trabalho, eles esperam que usemos o dinheiro sabiamente. Se assim o fizermos, eles farão novas doações. Porém, se não usarmos o dinheiro sabiamente, eles não ficarão interessados em financiar o nosso trabalho no futuro e poderemos ficar com uma má reputação. Para tornar doadores que fazem uma só doação em dizimistas, devemos mantê-los informados sobre como o dinheiro doado está sendo gasto. Ao prestarmos contas aos nossos doadores, também prestamos contas a Deus pelo que Ele nos proporcionou.

Leia também:
Tenha como meta a qualificação profissional focando em suas potencialidades

Faça acontecer

A única maneira de fazer com que uma coisa aconteça é movimentar-se para que ela aconteça. Se você continuar fazendo o que sempre fez, continuará obtendo o que sempre obteve. Para obter algo diferente, pense diferente, pois só se cria algo depois de mudar algumas regras.

Luiz Rogério Nogueira é Consultor, Conferencista, Escritor, Autor dos livros “Administração Paroquial”, “Secretaria Paroquial”, “Gestão Administrativa e Financeira Eclesiástica” e “Acolher para Evangelizar” publicados pela Editora Vozes.
Contato: [email protected]

Texto escrito por Luiz Rogério e adaptado por Redação Promocat

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Marketing Integrado

CONTATO

Não há nenhum operador online, mas você pode nos enviar um e-mail e retornaremos o mais breve possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account