Atente-se as regras da língua portuguesa para uma boa comunicação paroquial

Saiba que algumas regras da língua portuguesa são essenciais para uma boa comunicação

A complexidade das regras da língua portuguesa é um desafio a mais para nós, que trabalhamos com ela nas frentes de Comunicação. Língua pátria, de alta complexidade construtiva. Deveria ser motivo de orgulho nacional, preservada como um patrimônio cultural, mas é vítima da banalização que o dia-a-dia e as formas erradas de expressão nos impõem.

No telefone 156, de contato do munícipe com a Prefeitura de São Paulo, a maior cidade do país, uma mensagem eletrônica diz: “…Para maiores informações, ligue…”. Informação não é uma coisa que aumenta ou diminui de tamanho. Portanto, ela pode apresentar “mais” ou “menos” detalhes, ou pode se somar a outras informações, o que mudaria a mensagem para “mais” informações, se quisermos construir a frase corretamente.

Leia também:
O trabalho de comunicação nos momentos celebrativos da paróquia

Erros de grandes mídias

Um dos cadernos mais lidos do jornal paulistano Folha de S.Paulo, o ACONTECE, tem contribuído para multiplicar um equívoco que se espalha pelo país, especialmente em sites e em jornais internos de empresas e instituições. O nome do caderno, ora, pode ser qualquer um, mas será que a gente precisa usar a palavra de forma errada?

O verbo “acontecer”, segundo os bons dicionários, é usado para pontuar um acidente, um episódio que não estava previsto ou previamente agendado, como uma chuva de granizo ou um acidente de trânsito. Para episódios agendados, para eventos pré-determinados o verbo exigido é “realizar”. Mas nove entre 10 textos jornalísticos impressos ou eletrônicos, e também na TV ou Rádio, usam o bendito “acontecer” para dar informações sobre um show, uma reunião ou uma estreia de cinema.

E daí a gente lê isso. Não sabe que está errado e vai replicando o erro em nossos textos, que se espalham de forma viral e irremediável. A crase é outra boa pegadinha, especialmente quando a gente está fazendo uma agenda, uma grade de programação para um seminário ou evento da paróquia.

Confira os exemplos

Texto errado
Festa da padroeira acontece este mês. Prepare-se!
De 15 à 18 de novembro
Das 18hs às 23hs
Maiores informações com Fulano de tal

Pronto! Olhe só a quantidade de erros que a gente cometeu em quatro linhas. E isso fica exposto para todo mundo ler….e repetir os nossos erros. Bem, quando se trata de um período que envolve vários dias, não se usa o “a” com crase.

Na dúvida, sempre mude o texto para que o “a” combine com uma palavra masculina. Se ao pensar um outro jeito, o “a” exigir “ao” em seu lugar, daí você use uma crase. Geralmente esse truque funciona. Troque as datas pelos dias da semana: de segunda a sábado. A abreviatura de “horas” dispensa o “s” em um quadro de avisos.

Texto certo
Festa da padroeira realiza-se este mês. Prepare-se!
De 15 a 18 de novembro
Das 18h às 23h
Mais informações com Fulano de tal

Leia também:
Busque novos métodos para ampliar a comunicação entre os fiéis

Estude!

Buscar as palavras certas e entender um pouco mais sobre seus significados e sobre as regras da língua portuguesa, é um ato de gentileza com as outras pessoas e de cidadania. Os franceses, por exemplo, têm um orgulho de seu idioma que é de admirar. Chegue em território francês falando inglês, sem se desculpar por não conhecer a língua local, para ver o que lhe acontece! De certo, você vai achar que eles são mal educados, mas estão só preservando a identidade cultural deles. Pode ser que a pessoa com a qual você conversou, saiba falar inglês e tenha entendido o que você disse, mas isso não vai ajudá-lo a interagir com aquele cidadão.

Então, conhecer o nosso idioma, procurar as melhores formas de expressar um pensamento, falar com os “r” e os “s” ao final dos verbos e dos plurais é um sinal de boa educação, antes de mais nada. Não tenhamos vergonha de falar a nossa língua de forma correta. Isso, em um curto período de tempo, vai contaminar a sua comunidade, mas de forma positiva. Sendo assim, devemos ter orgulho do nosso idioma!

Sandra de Angelis é Jornalista formada pela Fundação Cásper Líbero, em 1984, traz larga experiência no Jornalismo diário. Atuou como repórter, editora, produtora e coordenadora em alguns dos principais veículos de comunicação do país.

Texto escrito por Sandra e adaptado por Redação Promocat 

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Promotora Católica

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account