A realização de festas juninas para captar recursos

As festas juninas são boas oportunidades para captar recursos

As festas juninas são oportunidades importantes que as paróquias têm para captação de recursos. Além de fazer parte do imaginário religioso católico, oferecem momentos de descontração e confraternização para os fiéis que se aglomeram em torno desse evento. E, o que é preciso fazer para que um evento tradicional como esse seja um sucesso? Segue então uma pequena lista de dicas que lhe ajudarão a encontrar esta resposta:

Levar em consideração as características locais

É preciso organizar o evento de modo que não perca as características tradicionais, folclóricas, sem deixar de inserir elementos novos, de acordo com a cultura local. Dessa maneira, é preciso, antes, fazer um levantamento da realidade e saber quais os costumes locais, o que as pessoas que esperamos nos festejos gostam, enfim, para que público estamos preparando a festa.

Leia também:
Como criar um planejamento estratégico para captação de recursos?

Trabalho em equipe

Para que qualquer evento funcione bem é preciso que haja uma equipe bem treinada para isso. Antes de tudo, forme uma equipe de festa – os festeiros, que não precisa ser muito grande. A princípio, cinco a oito pessoas são suficientes. O mais importante é que essa equipe tenha um coordenador.

Escolha um bom coordenador

Ele é o organizador das atividades ligadas à festa, peça fundamental e deve ter disposição e espírito de liderança. Não é quem vai organizar sozinho a festa, mas vai compor a sua equipe, de acordo com a necessidade, e distribuir as tarefas para cada um, para que tudo corra bem. Ele deve passar segurança e respeito para sua equipe. Sua função é gerenciar a festa e ficar atento a tudo, para que não falte nada e as coisas caminhem bem.

Trace metas

Uma vez escolhido o coordenador e formada a equipe de festa, é hora de traçar o que se pretende fazer e os objetivos que se pretende atingir. A maioria dos festejos paroquiais não visa apenas confraternização, mas sim, angariar recursos para as obras e atividades pastorais da Igreja. Evite gastos desnecessários com os produtos que serão oferecidos durante os festejos. Quanto mais donativos forem recolhidos, maior renda a festa terá. Desse modo, procure ganhar o que for oferecer na festa, como, por exemplo, as comidas e bebidas e os produtos que irão ser gastos durante o evento.

Os festeiros

O festeiro é o organizador e por assim dizer o ‘presidente’ da festa. Sua função é estar presente aos comes, dirigir a procissão, organizar as danças dramáticas, chamar os participantes para as diversas tarefas que têm de executar. Quando for formar a equipe de festa, pense num grupo de pessoas que ficarão encarregadas de buscar donativos e encaminhar os trabalhos e atividades. Para pedir donativos é importante fazer um ofício, com o timbre da paróquia, no qual conste o motivo do pedido e a finalidade do evento, além da assinatura do pároco e do coordenador do evento. Muitas paróquias costumam colocar os nomes dos festeiros no cartaz do evento. Isso ajuda a dar credibilidade a equipe, além de ser um incentivo a mais.

Precauções

Tome cuidado para que a equipe seja composta por pessoas de confiança, que não usarão de má fé na arrecadação de donativos e no controle das vendas durante o evento. Por mais que se trate de uma festa da Igreja, precaução nunca é demais. Tome cuidado também na contagem do dinheiro arrecadado e no transporte do mesmo até o local onde será guardado até ser depositado no banco. É muito comum nas grandes cidades, ladrões levarem, no fim da festa, todo o dinheiro arrecadado.

Desse modo, evite contar o dinheiro em locais visíveis. Nunca deixe a contagem por conta de uma única pessoa e nem de uma equipe muito grande. O ideal é um número de três ou quatro e que todos sejam de extrema confiança. Não guarde o dinheiro na casa paroquial ou em lugar visado. Estude com a equipe a melhor forma. Dividir o valor e cada um se responsabilizar com uma parte talvez seja uma boa sugestão. Desse modo, se houver roubo, não se perde tudo o que foi arrecadado.

Leia também:
Como conseguir doadores fiéis ao seu projeto de captação de recursos

Segurança e bom atendimento

Estes são dois elementos que caminham junto. Ninguém pode se sentir bem se o local não oferece segurança. Procure atender bem as pessoas, e, acima de tudo, contrate segurança, à paisana, principalmente se o mesmo for em locais passíveis de algum tumulto ou brigas. Eles devem ficar, durante a festa, como observadores discretos. Isso dará mais confiabilidade aos que vêm para o recinto e para a equipe organizadora. Será melhor ainda se esses observadores forem membros da comunidade. Além disso, peça com antecedência, através de ofício, a presença da polícia no evento. Isso impõe respeito e segurança. Se a festa for em local fechado, tipo salão paroquial ou ginásio, ou algum tipo de cobertura feita exclusivamente para a festa, é bom adequar o mesmo segundo as normas de segurança do Corpo de Bombeiros. Se isso não for possível, prepare, no mínimo, banheiros químicos suficientes para o público esperado.

Conter gastos

Durante as festas, evite desperdícios ou consumo de comida ou bebida sem pagar, só porque foram doadas ou porque se está ajudando no evento. Se o mesmo visa captar recursos para a Igreja, todo controle é pouco. Desse modo, prepare os que vão trabalhar também nesse aspecto. Uma boa dica é montar separado o lanche da equipe de serviço, não quer dizer fazer um pãozinho com margarina, mas ter o controle justo para evitar gastos desnecessários.

Divulgação

Faça, com antecedência, bastante propaganda do evento. A colocação de cartazes sobre o evento em locais de grande fluxo de pessoas funciona bem. Mesmo que sua festa seja tradicional é sempre bom, quando está chegando o evento, fazer algum tipo de divulgação.

Alimentação X tradição

Quanto à comida e bebida, não esqueça daquelas que são típicas das festas juninas e que, por sinal, são muito baratas e fáceis de fazer, como, por exemplo, pipoca, batata doce, bolo de milho, quentão, vinho quente etc. Essas comidas poderão ser doadas pela própria comunidade, basta que todos se empenhem em doar algo.

Folclore e diversão

Não esqueça da parte folclórica, de recreação. A quadrilha, por exemplo, é um elemento imprescindível numa festa junina e a criatividade da mesma garantirá o sucesso do evento. Além disso, convide pessoas que toquem instrumentos, tipo gaita, sanfona ou acordeom, viola ou violão para animar a festa. Sempre que possível, improvise um momento de danças, como o forró tradicional ou outras danças da região. Nas zonas rurais é costume o levantamento do mastro e o “pau de sebo”.

Se isso não é costume na sua festa, que tal inserir esses elementos? Eles resgatam do imaginário sentimentos antes esquecidos, tornando a festa mais animada. A animação e a alegria ajudam no êxito da mesma e quem vem uma vez quer voltar sempre. Quando possível, retome tradições que já foram esquecidas em muitos lugares, como o batismo de fogueira. Esses costumes reatam laços. Eles tendem a anular distâncias sociais que porventura estejam em processo de estabelecimento no interior da comunidade, promovendo, assim, maior integração da mesma.

Os símbolos

Por se tratar de uma festa junina, os símbolos são muito importantes. Portanto, não esqueça de preparar uma fogueira. Ornamente o local com bandeirinhas coloridas. Os que trabalham nas barracas e os atendentes, além dos organizadores, devem estar vestidos a caráter, isto é, com trajes típicos das festas juninas. Tudo isso ajuda a criar um ambiente descontraído e alegre. Estes e outros símbolos ajudam a reforçar a solidariedade da comunidade.

Leia também:
O trabalho voluntário na Igreja: saiba como funciona

A religiosidade popular

As festas, mesmo que num universo religioso, também são demarcadas pela linha imaginária do sagrado e do profano. As festas juninas, por se tratarem, em grande parte, de festividades dentro ou vinculadas ao espaço sagrado, devem preservar o lado religioso tradicional das mesmas. Quando a paróquia ou a comunidade concilia essas duas dimensões todos ganham com isso. Desse modo, não esqueça dos elementos religiosos correspondentes a cada santo. Por exemplo: se a festa for de Santo Antônio, abençoe os tradicionais “pães de Santo Antônio”.

As pessoas valorizam muito as festas juninas, por isso, deve ser respeitado e repetido. Além disso, por se tratar, na tradição popular, de um santo casamenteiro, faça, durante a celebração, uma bênção aos casais de namorados. Nas festas de São João acenda fogueira e faça o levantamento do mastro. Durante esse ritual, as pessoas gostam de ajudar a fincar o pé do mastro e socá-lo, enquanto fazem pedidos e orações. Além desse tipo de manifestação religiosa, a procissão também é bem vida entre os católicos. Preservá-la ajuda a manter o interesse pela festa. Nas festividades de São Pedro, destaque também a bênção das chaves. Se sua paróquia é ribeirinha ou litorânea, aproveite para homenagear e abençoar os pescadores, uma vez que o santo é tido como protetor dos mesmos.

Pe. José Carlos Pereira, cp é Doutor em Sociologia, Mestre em Ciências da Religião. É assessor do CCM (Centro Cultural Missionário), de Brasília/DF, organismo da CNBB e ministra cursos e palestras em paróquias e dioceses do Brasil.

Texto escrito por Pe. José Carlos e adaptado por Redação Promocat

©[2019] Portal Paróquias - Todos os direitos reservados a Promocat Marketing Integrado

CONTATO

Não há nenhum operador online, mas você pode nos enviar um e-mail e retornaremos o mais breve possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account